Home / Antártida / Viajar com crianças: um cruzeiro à Antártida
Andrea e Mattia na Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini
Andrea e Mattia na Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini

Viajar com crianças: um cruzeiro à Antártida

Às vezes viajar com crianças pequenas no reboque é um problema para os pais, que devem enfrentar todos os tipos de dúvidas e problemas relacionados com os custos, destinos, os medicamentos a tomar para organizar uma viagem com crianças. São questões, que muitas vezes levam as famílias a desistir de realizar viagens de sonho apenas uma vez numa vida para o fato de que as crianças são pequenas e você não pode viajar com elas. Para mudar esta idéia recomendo a leitura de meu artigo publicado recentemente.

Em vez disso nós recomendamos viajar de qualquer maneira. Viajando com crianças é sempre uma experiência única. Estudar bem o destino e o itinerário, procurar destinos e atrações, que vão agradar a sua curiosidade. Prepare a sua viagem envolvendo os participantes. Você vai ver, que eles vão querer sair o mais rápido possível, atraidos por novas perspetivas e experiências.

Andrea e Mattia com a mãe Laura na Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini

Andrea e Mattia com a mãe Laura na Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini

Entre os meios mais adequados para famílias com crianças há os navios de cruzeiro. As empresas, que organizam cruzeiros, têm um olho para as famílias. Do ponto de vista económico as crianças muitas vezes pagam apenas uma pequena taxa ou mesmo viajam gratuitamente. Em termos de entretenimento a bordo há clubes bebé, onde as crianças podem brincar em completa segurança, assistidas por especialistas, enquanto os pais podem relaxar-se ou fazer excursões em tranquilidade.

ste ano depois de ter examinados destinos e meios de transporte diferentes, decidimos tentar um cruzeiro, mas não um cruzeiro normal. Os nossos filhos, vendo os documentários dedicados ao Captain Cook, são apaixonados por grandes viajantes das caravelas e galeões e graças à minha paixão para a história das explorações geográficas contei as histórias dos exploradores espanhóis e portugueses em busca das Ilhas das Especiarias (as Molucas) e do Novo Mundo. Ficaram fascinados por Cristóvão Colombo, que descobriu a América em busca duma rota para o oeste para as Ilhas das Especiarias e pela magia da primeira viagem ao redor do mundo do explorador português Fernão de Magalhães ao serviço da Espanha.

A entrada de Lemaire Channel, Antártida. Autor e Copyright Marco RameriniA entrada de Lemaire Channel, Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini

A entrada de Lemaire Channel, Antártida. Autor e Copyright Marco Ramerini

Esta vez o nosso objetivo é a América do Sul. Vamos fazer uma viagem, que nos levará de Santiago do Chile (Valparaiso) para o sul ao longo da costa chilena, explorando os fiordes, vulcões e glaciares chilenos até chegar ao Estreito de Magalhães, um estreito descoberto e cruzado pela primeira vez em 1520 por Fernão de Magalhães na primeira viagem ao redor do mundo. Aqui vamos parar na cidade chilena de Punta Arenas.

Em seguida visiteremos a Terra do Fogo e o canal de Beagle com a vila mais austral do mundo: Ushuaia na Argentina. Continuando a nossa exploração vamos ultrapassar Cabo Horn e vamos entrar na passagem de Drake, o trecho de mar entre a América do Sul e a Antártida e atravessamos o estreito, que os marinheiros britânicos chamavam os “Furious Fifties” (“grito de cinquenta”), onde o mundo não tem massas de terra, que bloqueiam os ventos e as ondas na latitude de 50°S. As tempestades e as ondas estão entre os mais impressionantes do planeta. Nesta viagem vamos viajar por todos os três braços do mar, que ligam o Oceano Atlântico com o Oceano Pacífico.

Pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), Gipsy Cove, Ilhas Malvinas (Ilhas Falkland). Autor e Copyright Marco Ramerini

Pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), Gipsy Cove, Ilhas Malvinas (Ilhas Falkland). Autor e Copyright Marco Ramerini

Em seguida iremos mais para o sul até ver ao longe as primeiras ilhas da Antártida: As ilhas Shetland do Sul. Então chegamos nas ilhas de Palmer, a antecâmara da massa de terra do sexto continente (ou sétimo continente de acordo com os anglo-saxões) e depois prosseguiremos para o sul para admirar a costa da Antártida. Nós navegamos ao longo da costa da Península Antártica por 360 km, admirando paisagens naturais feitos de baías, montanhas, glaciares, icebergues e observando baleias, focas e pinguins. Nós vamos chegar até tocar os 65° sul ao longo da Danco Coast na Península Antártica. Vamos prosseguir a rota da Península Antártica até o Antartic Sound, que fica no extremo norte do continente branco. Finalmente vamos visitar as ilhas Shetland do Sul.

Depois de visitar a costa da Antártida vamos atravessar o Canal de Drake e desembarcar nas Ilhas Malvinas (Ilhas Falkland), onde poderemos ver paisagens áridas, mas fascinantes, e onde visitaremos uma colónia de pinguins. Das Ilhas Malvinas vamos subir a costa da Patagônia argentina parando em Puerto Madryn e visitando a Península Valdes e finalmente chegamos às cidades de Montevidéu no Uruguai e Buenos Aires na Argentina, onde o nosso cruzeiro termina.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

dealform 336x280
banner
Siga-nos no Facebook
Mantenha-se informado sobre Guia Viagem