Home / Oceania / Polinésia Francesa / Rimatara: a última ilha habitada do arquipélago das Ilhas Austrais para ser descoberta pelos europeus
Rimatara, Ilhas Austrais, Polinésia Francesa. Autor NASA. No Copyright
Rimatara, Ilhas Austrais, Polinésia Francesa. Autor NASA

Rimatara: a última ilha habitada do arquipélago das Ilhas Austrais para ser descoberta pelos europeus

Rimatara com 8,6 km² é a ilha mais ocidental das ilhas habitadas das Ilhas Austrais. A ilha está situada a oeste de Rurutu pouco ao norte do Trópico de Capricórnio. Rimatara é uma ilha circular com uma baía no sul e tem uma população de 785 habitantes (Censo de 2007), agrupada em três pequenas aldeias, que são Mutuaura, Anapoto e Amaru.

Seu ponto mais alto é o Monte Uahu ou Vahu, uma pequena colina no centro da ilha, que eleva-se a 83 metros de altura. A ilha é cercada por um recife de coral, mas não tem uma lagoa, porque a barreira está localizada perto da costa. A barreira tem apenas uma passagem, chamada passe Hiava.

A ilha tem uma economia agrícola. São produzidos noni, taro e copra. A pesca de subsistência é praticada por uma grande parte dos habitantes da ilha. O artesanato da ilha é muito apreciado, enquanto o turismo está ainda em estado embrionário, mas a recente abertura dum pequeno aeroporto poderá desenvolver esta actividade em breve, mesmo nesta ilha no fim da Polinésia Francesa.

O primeiro europeu a chegar a Rimatara foi o capitão Samuel Pinder Henry, que descobriu a ilha em 1821. Então Rimatara foi a última ilha habitada do arquipélago das Ilhas Austrais para ser descoberta pelos europeus.

O atol de Maria ou Hull é um atol deshabitado, formado por quatro ilhas, localizadas a 200 km ao noroeste de Rimatara.

COMO CHEGAR A RIMATARA: A ilha foi recentemente equipada por um aeroporto, que é atingido por voos da Companhia Air Tahiti, que liga Rimatara com as ilhas de Taiti, Rurutu e Tubuai.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

dealform 336x280
banner
Siga-nos no Facebook
Mantenha-se informado sobre Guia Viagem