Home / África / Namíbia / Fish River Canyon: o maior desfiladeiro da África
Fish River Canyon, Namíbia. Author and Copyright Marco Ramerini
Canhão Fish River, Namíbia. Autor Marco Ramerini

Fish River Canyon: o maior desfiladeiro da África

Localizado no sul da Namíbia, o Parque Nacional do Desfiladeiro do Rio Fish (Fish River Canyon) é uma dos vários lugares, que tornam particularmente fascinante e interessante uma viagem da Namíbia. A garganta pode ser alcançada a partir de Keetmanshoop. Durante a estação seca é uma estrada de terra batida agradável, mas que às vezes pode ser intransitável durante a estação das chuvas (novembro a maio). A partir do portão de entrada do campo de repouso de Hobas uma estrada de terra de 10 km leva a alguns pontos turísticos colocados na margem do canhão. O ponto de vista principal está equipado com banheiros, mesas de piquenique e churrasqueiras para grelhar a carne.

O rio, que forma o canhão, o Fish River com seus 650 km é o maior rio do interior da Namíbia, nasce nas montanhas do leste da Naukluft e desemboca ao sul de Ai-Ais no rio Orange. O canhão, devido à erosão hídrica evoluiu 500 milhões de anos durante uma época, em que esta parte da África recebeu muito mais chuva em comparação com hoje.

A erosão daquele período juntamente com os movimentos tectônicos da crosta terrestre, que causou o colapso do vale, onde o rio fluiu, resultou na formação deste canhão, que é o maior da África e um dos maiores do mundo: O Desfiladeiro do Rio Fish é de 161 km de comprimento, tem uma largura máxima de 27 km e atinge uma profundidade de 549 metros.

A maioria dos visitantes admira o canhão por alguns pontos turísticos, que estão localizados próximo ao miradouro principal. Muito interessante é a observação da vegetação, que cresce ao longo da orla das paredes do canhão.

Fish River Canyon, Namíbia. Autor Marco Ramerini

Fish River Canyon, Namíbia. Autor Marco Ramerini

Existem exemplos da venenosa Euphorbia, o Aloe dichotoma ou Quiver Tree (Kokerboom/Köcherbaum), que é a árvore nacional da Namíbia. Pode ver diferentes espécies de plantas suculentas todas perfeitamente adaptadas ao ambiente semi-desértico.

O melhor momento para observar o canhão é à meio-dia, quando o sol é capaz de iluminar todas as paredes da garganta. Recomendo que visite o canhão nas horas antes do pôr do sol, mas lembre-se que o parque fecha ao pôr do sol e deve estar fora antes do fecho.

O Desfiladeiro do Rio Fish tornou-se nos últimos anos um destino popular para os amantes do trekking. Há um caminho de 86 km com uma duração de cinco dias, que cobre grande parte do canhão. Mas para realizá-lo deve chegar na estação seca de maio a setembro, estar em boa forma física e ter obtido primeiro uma autorização dos Namíbia Wildlife Resorts em Windhoek.

Se quiser apenas fazer a descida para o fundo do canhão, que leva duas horas e meia, precisa-se também duma autorização prévia.

O canhão é habitado por pequenos mamíferos como o antílope klipspringer e o dassie. Há também steenbokke, springbokke, zebras de montanha Hartmann, babuínos, kudus e leopardos. Mais de 60 espécies de aves vivem no canhão, incluindo garças, águias e avestruzes. Répteis e insetos estão entre as espécies mais comuns. São abundantes os lagartos e lagartixas e entre as cobras venenosas existem a cobra do Cabo (Naja nivea), a cobra preto pulverizador/black spitting cobra (Naja woodi), a víbora do sopro (Bitis arietans) e a víbora cobra sopro (Bitis caudalis).

O clima é semi-desértico durante os meses de verão entre outubro e março. As temperaturas durante o dia podem chegar a 48°C. É a estação das chuvas, em que ocasionalmente ocorrem tempestades intensas, mas breves. A precipitação anual é de apenas 100 mm. A melhor época para visitar o canhão é durante os curtos invernos entre maio e setembro. Nestes meses as temperaturas caem debaixo de zero durante a noite, mas durante o dia há temperaturas ótimas entre 20°C e 28°C.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

banner
Siga-nos no Facebook
Mantenha-se informado sobre Guia Viagem