Home / Europa / Croácia / Dubrovnik: a bela Ragusa de Dalmácia

Dubrovnik: a bela Ragusa de Dalmácia

Ao longo da costa da Dalmácia na sua parte sul perto da fronteira com Montenegro é a jóia da Croácia: A cidade de Ragusa na Dalmácia, chamada em croata Dubrovnik.

A cidade é caracterizada por um maravilhoso centro histórico, que permaneceu praticamente intacto ao longo dos séculos e que é completamente rodeado por uma bela muralha medieval. Toda a cidade tradicional de Dubrovnik faz parte desde 1979 do Património Mundial da Humanidade da UNESCO.

Ragusa originou-se após a queda do Império Romano, quando no século VII para proteger-se dos bárbaros os habitantes da cidade romana de Epidaurum – a Cavtat de hoje (Ragusa antiga)- refugiaram-se para uma pequena ilha, localizada a poucos metros da costa e começaram a construir as casas e cercas de defesa.

A partir deste pequeno povoado, que inicialmente colocou-se sob a proteção de Bizâncio, foi desenvolvido nos séculos seguintes uma importante república marítima sobre o modelo de outras repúblicas marítimas italianas como Veneza, Génova, Pisa e Amalfi.

Depois da Quarta Cruzada de 1204 Ragusa foi controlada por Veneza e ficou uma posse de Veneza até 1358, quando após a paz de Zara (Zadar) a cidade conseguiu escapar do controle veneziano e tornou-se independente.

A antiga república marítima de Ragusa foi o rival de Veneza no comércio entre o Oriente e o Ocidente, tornando-se o principal porto comercial do Adriático do sul. Durante este período da história da cidade foram construídas as muralhas poderosas, que já no século XII tinham a aparência, que permanece até hoje.

A República de Ragusa no seu auge, quer dizer no século XV e no início do século XVI, controlava a costa da Dalmácia da entrada da Baía de Cattaro (Kotor) até Stagno (Ston) ao longo de toda a península de Sabbioncello (Pelješac) e as ilhas Elafiti, Meleda (Mljet) e Lagosta (Lastovo). Ragusa negociava com o Egito, a Ásia Menor, o Mar Negro, a Grécia, a Sicília, a Toscana e a Provença. A República de Ragusa foi abolida em 1808 durante a ocupação napoleônica.

O latim e o italiano eram as línguas oficiais e de uso da República de Ragusa desde a sua fundação. O nome atual croata de Dubrovnik suplantou o nome italiano Ragusa apenas em 1919, quando a cidade foi anexada ao Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovênios, chamado a partir de 1929 Reino da Iugoslávia.

QUE VER EM DUBROVNIK/RAGUSA: AS ATRAÇÕES TURÍSTICAS

Dubrovnik/Ragusa) é a mais bela cidade da Croácia, conhecida pelo apelido de “pérola do Adriático”, e é famosa por suas muralhas medievais, que cercam ainda completamente a cidade por quase 2 km.

Suas muralhas são entre os mais belos e melhor preservados exemplos de fortificação medieval da costa mediterrânica. Há fortes, torres, baluartes, que formam um forte sistema defensivo, que circunda completamente o centro histórico da cidade.

A cidade merece uma visita completa. Após a porta Pile fica a grande fonte de Onofrio do século XV e o Mosteiro Franciscano. A partir daqui, se não quer subir imediatamente nos muros da cidade, continua ao longo da rua principal: o Stradun, que atravessa a cidade até a praça da Loja (Luza).

Na praça da Loja tem vista aos prédios mais importantes de Ragusa: Ao Palácio Sponza, à Loja, ao Palácio da guarda principal e à igreja de São Brás (Sv. Vlaho).

A partir daqui alcança o Palácio do Reitor, a antiga sede do governo da República de Ragusa, que abriga agora um interessante museu dedicado à história da cidade. Perto dali fica a catedral barroca da Assunção (Velika Gospa) do século XVII.

Continuando a partir da praça da Loja para o outro portão monumental da cidade, a porta de Ploče, chegamos ao Mosteiro dos Dominicanos, construído no século XIV. Contém um belo claustro gótico e um interessante museu de arte. Interessantes são também as visitas ao antigo porto, à construção do Rupe, que é um antigo celeiro, à igreja barroca de Santo Ignácio, ao Museu do Mar e ao Aquário. Este último está localizado dentro do Forte São João.

A caminhada ao longo das paredes de Ragusa/Dubrovnik é uma das coisas, que não deve perder durante a sua visita à cidade. A partir das muralhas pode admirar as vistas fantásticas, a beleza arquitetônica do centro medieval e o cenário incomparável do porto e da costa.

Ao longo do lado para o mar a espessura das muralhas varia entre 2 e 3 metros, enquanto no chão varia entre 4 e 6 metros. No chão Ragusa é protegida por uma parede dupla, o que em alguns lugares é superior a 25 metros de altura, o que dá uma idéia, de onde vieram os problemas de segurança para a cidade.

Ao longo do perímetro defensivo existem 15 torres. As paredes são protegidas igualmente por três fortes: O Forte de São João (Sveti Ivan) com vista para o porto, o Revelin, que defende a porta de Ploče, e o Forte de São Lourenço (Lovrijenac), que controla a parte ocidental.

O clima de Dubrovnik (Ragusa da Dalmácia).

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

banner
Close
Inscreva-se no nosso canal YOUTUBE
Se você gosta de viajar, inscreva-se no nosso canal de viagens YOU TUBE: