Home / Europa / Lituânia / Vilnius atrações turísticas: o que ver em Vilnius
Lukiškių aikštė, Vilnius, Lituânia. Autor Figuura. Licensed under the Creative Commons Attribution-Share Alike
Lukiškių aikštė, Vilnius, Lituânia. Autor Figuura

Vilnius atrações turísticas: o que ver em Vilnius

Em 1994 a UNESCO incluiu o centro histórico de Vilnius na lista do Patrimônio Mundial da Humanidade pelas suas construções no estilo gótico, renascentista e barroco e a sua aparência medieval.

Principais atrações de Vilnius: O centro da cidade está localizado em torno da Praça da Câmara Municipal. A rua principal da Cidade Velha é a rua Pilies, que liga o Castelo grão-principesco com a Câmara Municipal. A cidade velha de Vilnius é uma das maiores da Europa de Leste. Embora a maior parte da cidade seja construída no estilo barroco, desenvolveu-se ao longo de vários séculos com muitos edifícios no estilo gótico e renascentista numa mistura original.

O centro histórico dos séculos XVI e XVII foi cercado por muralhas e um complexo de castelos, que eram o Castelo Alto sobre a colina Gediminas, o Castelo Baixo no sopé da colina e o Castelo Errado sobre a colina ao lado.

Um dos símbolos da cidade é a Torre de Gediminas do Castelo Superior (Aukštutinės pilies Gedimino bokštas). É a única torre, que sobreviveu dos três, que no século XIV decoravam o castelo. Das outras torres restam somente as ruínas das muralhas. Dentro da torre há um museu, que descreve a história do castelo. A partir do topo da torre tem uma magnífica vista sobre o centro histórico da cidade.

Vilnius, Lituânia. Autor Halfwit Sock. No Copyright

Vilnius, Lituânia. Autor Halfwit Sock

Entre os poucos vestígios das fortificações da cidade o chamado bastião (Bastėja) é uma fortificação do renascimento, que remonta ao século XVII, e a porta do alvorecer (Aušros Vartai), a única porta restante dos 10, que uma vez foram abertas nas muralhas, remontando ao século XVI. Ao lado da porta fica uma pequena capela no estilo neo-clássico de 1829, que preserva uma pintura milagrosa de Nossa Senhora, que data do século XVII.

A Catedral (Arkikatedra bazilika) é um edifício no estilo neo-clássico. A sua fundação remonta ao século XIII, mas o seu aspecto actual remonta ao século XVIII graças ao trabalho do arquiteto lituano Laurynas Stuoka-Gucevičius. O interior é cheio de afrescos, pinturas, esculturas e túmulos. Notáveis são o afresco da “Crucificação” (século XIV) e a capela barroca de São Casimiro (Šv. Kazimiero), cheia de decorações e afrescos. O tesouro da catedral pode ser visitado para ver a exposição permanente “O cristianismo na Arte da Lituânia”.

A torre do sino da Catedral (Arkikatedros varpinė) situa-se acima dos restos do Castelo Baixo. Uma parte do castelo é provavelmente a base redonda da torre do sino. A torre do sino com 57 metros de altura abriga um relógio do século XVII.

Lukiškių aikštė, Vilnius, Lituânia. Autor Figuura. Licensed under the Creative Commons Attribution-Share Alike

Lukiškių aikštė, Vilnius, Lituânia. Autor Figuura

O conjunto da Igreja de Santa Ana e da Igreja de São Francisco e São Bernardino (Šv. Onos ir Bernardinų bažnyčių ansamblis) é o conjunto de edifícios mais importante de Vilnius: A Igreja de Santa Ana no estilo gótico tardio data dos séculos XV e XVI. Possui a distinção de ter sido construída com 33 tipos diferentes de tijolos. A Igreja de São Francisco e São Bernardino, também no estilo gótico, foi construída no final do século XV. Renovações foram executadas nos séculos XVI e XVII. Contêm elementos da arquitectura renascentista e barroca, fazendo a igreja uma mistura curiosa de estilos.

A Igreja de São Pedro e São Paulo (Šv. Petro ir Povilo bažnyčia), provavelmente a maior igreja barroca da Lituânia, foi iniciada em 1668. Contém obras-primas da arte italiana e lituana. O interior é ricamente decorado com esculturas e figuras. Entre as muitas igrejas na cidade velha há 40 igrejas de diferentes estilos arquitetônicos.Vale a pena visitar: A Igreja Ortodoxa do Espírito Santo e o Mosteiro Ortodoxo adjacente (Šv. Dvasios cerkvė ir Vilniaus stačiatikių vienuolynas), edifícios no estilo barroco do século XVII. Foram reconstruídos no século XVIII com um interior no estilo rococó. A Igreja de São Casimiro (Šv. Kazimiero bažnyčia), uma igreja barroca, construída pelos jesuítas no início do século XVII para comemorar São Casimiro, o santo padroeiro da Lituânia. Na época do comunismo foi transformada num museu dedicado ao ateísmo.

A Câmara Municipal (Rotušė) é um edifício no estilo neo-clássico, que remonta ao século XVIII, executada por Laurynas Stuoka-Gucevičius. O Gabinete do Presidente (Prezidento rūmai) é um palácio no estilo Império do século XIX. Aqui ficava originalmente o antigo palácio do bispo, que durante a era czarista foi a residência do governador russo. A Universidade de Vilnius (Vilniaus universitetas) é uma das mais antigas da Europa, que remonta a 1579. A Universidade é composta de muitos edifícios em estilos diferentes, que vão do gótico, renascentista, barroco ao neo-clássico. Dentro existe a igreja de São João Batista e de São João Evangelista dos séculos XIV a XVIII. A Biblioteca Universitária remonta ao século XVI e preserva antigos textos importantes.

Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl. Licensed under the Creative Commons Attribution-Share Alike

Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl

As três cruzes (Trys Kryžiai) é um monumento aos primeiros mártires cristãos: Sete monges franciscanos, chegados à Lituânia para converter a população ao cristianismo, foram feitos em pedaços pelos pagãos. A lenda diz que os corpos dos mártires foram enterrados nesta colina, onde mais tarde foi construída uma capela e em seguida foram colocadas as cruzes, que foram destruídas pelos comunistas em 1950. O local é agora um monumento dedicado aos três mártires. A Torre de TV (Televizijos bokštas) com uma altura de 326,5 metros é um dos edifícios mais altos da Europa. Através dum elevador pode chegar a uma plataforma, colocada a 165 metros de altura, de onde pode admirar um bom panorama da cidade.

Entre as atrações ao redor da cidade estão a ser relatadas: A 30 km de Vilnius encontram-se Trakai/Traken e a antiga Trakai (Senieji Trakai), famosa pelo seu castelo e as paisagens naturais. A cidade era a capital do Grão-Principado da Lituânia e a residência do Grão-Príncipe. Na antiga Trakai fica a igreja neo-gótica da Virgem Maria e de São Bento do Apocalipse, construída no final do século XIX. Outra atração de Trakai são os Karaites, uma população de língua turca, que mantém as suas tradições ancestrais.

Outro destino interessante a 35 km ao noroeste de Vilnius é o sítio arqueológico de Kernavė/Kernau, a primeira capital da Lituânia, uma das cidades mais antigas da Lituânia, onde no museu local estão os restos visíveis dos objetos encontrados nas escavações, que vão desde o Paleolítico até à Idade Média. Interessantes são os restos de cinco estruturas defensivas, colocadas sobre colinas diferentes, que formavam as defesas da antiga capital. Em 2004 a UNESCO incluiu o sítio arqueológico de Kernavė (Reserva Cultural de Kernavė) na lista do Património Mundial da Humanidade.

Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl. Licensed under the Creative Commons Attribution-Share Alike.

Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl

As ruínas do castelo de Medininkai e a colina vizinha de origem glacial de Juozapinės. Durante o verão os Žalieji ežerai (lagos verdes) são destinos muito populares, em particular o lago Balsio. Finalmente vale a pena mencionar, que o centro geográfico da Europa está localizado a 26 km ao norte de Vilnius. No lugar há um monumento e no escritório de turismo local pode receber um certificado, que atesta a sua visita.

Natal em Vilnius: Entre o final de novembro e o início de janeiro há o evento Natal na capital (Kalėdos Sostineje) com mercados de Natal nas praças da cidade velha, concertos e espectáculos teatrais.

QUE VER: OS MUSEUS DE VILNIUS

Vilnius tem 60 museus, que mostram os mais diversos temas culturais: Arte, natureza, arquitetura, história, ciência, teatro, música, cinema e literatura.

Entre os mais importantes e interessantes podemos listar: O Museu do bastião (Vilniaus bastėja), localizado num bastião renascentista da primeira metade do século XVII das muralhas da cidade. Consiste dum túnel de 48 metros de comprimento, que liga as plataformas de armas. Estão expostos canhões. Daqui tem uma vista maravilhosa da cidade.

Na área do Castelo de Vilnius existem três museus interessantes: O Museu do Castelo de Vilnius (Pilies muziejus), localizado na Torre Gedimina (Gedimino Pilis). Apresenta reconstruções e modelos do castelo do século XIV até o século XVII, bem como armas e material histórico da antiga Vilnius. O Museu Nacional da Lituânia (Lietuvos nacionalinis muziejus), um dos principais museus da cidade, abriga coleções de arqueologia, história e cultura étnica da Lituânia. O Museu de Artes Aplicadas (Taikomosios dailės muziejus) expõe arte sacra e ícones. Além disso o museu apresenta a exposição intitulada Tesouros dos Palácios Principescos do Grão-Principado da Lituânia.

Gedimino prospektas, Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl. Licensed under the Creative Commons Attribution-Share Alike

Gedimino prospektas, Vilnius, Lituânia. Autor Wojsyl

O Palácio Radvila (Radvilų rūmai) foi construído no início do século XVII por Jonušas Radvila, o castelão de Vilnius. Agora abriga retratos da família do fundador e documentos sobre a sua história, bem como numerosas exposições de arte. O Museu Nacional Judaico Vilna Goan (Valstybinis Vilniaus Gaono žydų muziejus), construído em 1997 para comemorar o 200º aniversário de Vilna Goan. O museu é composto de três edifícios destacados mostrando diferentes aspectos da cultura e da tragédia judaica: O Memorial Paneriai, o Museu Judaico Ž.Lipšic e o Centro de Tolerância. O acervo do Museu exibe objetos da cultura judaica, fotografias, livros, material histórico e escritos. O Memorial Paneriai (Panerių memorialinis muziejus), um memorial para as vítimas do massacre de 100.000 pessoas, das quais a maioria foram judeus, perpetrado durante a Segunda Guerra Mundial pelas tropas nazistas.

O Museu das Vítimas do Genocídio (Genocido aukų muziejus), um museu dedicado às vítimas do genocídio do povo lituano, perpetrado durante a ocupação soviética. O museu está instalado no edifício das autoridades policiais soviéticas do NKVD e NKGB-MGB-KGB, que existiram a partir do segundo semestre de 1940 até agosto de 1991. Pode ver a prisão local, a sala de morte, bem como documentos, fotos e mapas, que mostram o processo de sovietização forçada em 1940 e 1941. Até a data presente existem as exposições permanentes: Lietuvos gyventojai gulage: 1944-1956 (lituanos no GULAG: 1944-1956) e Trėmimai: 1944-1953 (deportações: 1944-1953).

O Museu de Aleksandr Pushkin (Literatūrinis A. Puškino muziejus), dedicado ao poeta Alexander Pushkin. Está abrigado na residência de Varvara Grigori Pushkin no subúrbio de Markučiai. Aqui estão 6 quartos com móveis autênticos do século XIX, bem como 21 livros de Alexander Pushkin e 34 de suas obras publicadas, quando ele estava ainda vivo. O Museu Adam Mickiewicz (A. Mickevičiaus memorialinis butas-muziejus), um museu dedicado ao famoso poeta Adam Mickiewicz. A Casa da Assinatura (Signataru namai), o edifício histórico, em que no ano de 1918 foi declarada a independência da Lituânia. O Museu do Banco da Lituânia (Lietuvos banko muziejus), um museu dedicado à história monetária da Lituânia. O Museu de Teatro, Música e Cinema (Lietuvos teatro, muzikos ir kino muziejus). O Museu dos Caminhos de Ferro da Lituânia (Lietuvos geležinkelių muziejus), dedicado à história dos caminhos de ferro lituanos.

Vilnius: cidade gótica, renascentista e barroca.

Vilnius clima: quando ir para Vilnius.

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

banner
Close
Inscreva-se no nosso canal YOUTUBE
Se você gosta de viajar, inscreva-se no nosso canal de viagens YOU TUBE: