Home / Oceania / Nova Zelândia / O farol do Nugget Point: Um dos lugares mais fotografados na costa da ilha do Sul da Nova Zelândia
O farol de Nugget Point, Catlins, Nova Zelândia. Autor e Copyright Marco Ramerini
O farol de Nugget Point, Catlins, Nova Zelândia. Autor e Copyright Marco Ramerini

O farol do Nugget Point: Um dos lugares mais fotografados na costa da ilha do Sul da Nova Zelândia

Um dos lugares mais fotografados na costa da ilha do Sul da Nova Zelândia é o promontório do Nugget Point com o seu farol. Este trecho de litoral está localizado no extremo norte da costa de Catlins na região de Otago.

Alcançar o farol do Nugget Point é uma experiência emocionante. A estrada para o farol passa ao longo da costa tocando o pequeno assentamento de Kaka Point, um nome derivado do pássaro do mesmo nome (Nestor meridionalis), um papagaio endêmico da Nova Zelândia. Aqui pode parar para admirar e dar um passeio pela grande praia de areia dourada. Às vezes ao longo desta praia é possível encontrar animais como o pinguim-de-olho-amarelo, otárias e mesmo focas-leopardo vindo da Antártida.

Voltando ao carro, a estrada continua ao longo da costa com praias e promontórios alternados. Pouco antes do final da estrada vale a pena de parar na Roaring Bay na costa sul da ponta do Nugget Point. Aqui um caminho curto de apenas 100 metros a pé permite admirar de cima a praia de pedras da Roaring Bay, que abriga uma pequena colónia de pinguins-de-olho-amarelo ou pinguins das antípodas (hoiho – Megadyptes antipodes) e otárias.

As rochas de Nugget Point, Catlins, Nova Zelândia. Autor e Copyright Marco Ramerini

As rochas de Nugget Point, Catlins, Nova Zelândia. Autor e Copyright Marco Ramerini

Depois de ter deixado o carro e percorrido 500 metros mais depois de 8 km de Kaka Point alcança o estacionamento, onde a estrada termina e de onde começa o caminho para o Farol do Nugget Point. Agora continue a pé ao longo dum excelente caminho, que em 10 minutos (800 metros) chega ao farol. O farol começa a aparecer no momento que o caminho começa a descer antes de chegar em frente do promontório. Há uma pequena clareira, onde pode admirar o farol e uma parte das rochas abaixo. Uma pequena subida ao farol, que não pode ser visitado, chega a um ponto de vista panorâmico suspenso, de onde pode admirar plenamente o espetáculo das rochas: Verdadeiras pepitas de pedra no Oceano Pacífico.

O farol foi construído em 1869 e foi posto em operação pela primeira vez em 1870. O farol está ainda em operação. O nome do farol deriva-se das rochas, que o cercam e que lembram do pôr do sol e do amanhecer na cor e na aparência, pepitas de ouro imersas no oceano. O sítio é o lar de muitas aves marinhas, incluindo pinguins, patolas-de-pés-azuis e espátulas reais (Platalea regia). Há também uma grande colónia de reprodução de otárias. Nas águas em frente do farol pode-se ver golfinhos, orcas e baleias (baleia-jubarte, baleia-franca-austral).

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

banner
Close
Inscreva-se no nosso canal YOUTUBE
Se você gosta de viajar, inscreva-se no nosso canal de viagens YOU TUBE: