Home / África / Tanzânia / Zanzibar: A ilha das especiarias
Zanzibar, Tanzânia. Autor Jonathan Stonehouse. Licensed under Creative Commons Attribution
Zanzibar, Tanzânia. Autor Jonathan Stonehouse

Zanzibar: A ilha das especiarias

A ilha de Zanzibar, também conhecida como Unguja, é a maior ilha do arquipélago do mesmo nome. As duas outras ilhas grandes são Pemba e Mafia, que existem ao lado de dezenas de ilhas menores. Zanzibar está localizada nas águas do Oceano Índico a uma distância da costa da Tanzânia, que no ponto mais próximo do continente africano é de 35 km. A ilha ocupa uma área de 1.666 quilómetros quadrados e é habitada por novecentas mil pessoas. A ilha, localizada a 40 km ao nordeste de Dar es Salaam, está disposta paralelamente à costa africana e estende-se por 85 km de norte a sul e no seu ponto mais largo é de 30 km de largura. Zanzibar é uma ilha plana e o seu ponto mais alto não excede 200 metros.

Zanzibar era uma vez um importante centro para o comércio de marfim, de cravo e de tráfico de escravos. No século XI os árabes entretinham relações comerciais e fundaram colónias ao longo da costa oriental africana. Com a chegada dos portugueses em 1499 a ilha de Zanzibar tornou-se parte de suas rotas comerciais. Os portugueses limitaram-se a controlar o comércio da ilha, mas parece que não ocuparam Zanzibar militarmente.

Nos anos seguintes os portugueses controlavam o tráfego comercial a partir da sua fortaleza de Mombaça (Forte Jesus de Mombaça), construído em 1593. Foi somente em 1698 com a perda de Mombaça, conquistada pelos omanis após um longo cerco, que durou quase três anos, que o controle português sobre Zanzibar terminou. Zanzibar foi em seguida por 200 anos um dos centros principais do império de Omã e tornou-se a capital em 1840. Em 1890 Zanzibar caiu como protetorado sob a influência britânica, que só terminou com a independência em 1963.

Zanzibar, Tanzânia. Autor TKnoxB. Licensed under Creative Commons Attribution

Zanzibar, Tanzânia. Autor TKnoxB

Zanzibar é agora um arco-íris da humanidade, dominada pela religião islâmica e a língua suaíli, mas onde vê a influência de culturas, tradições, raças da África, da Ásia e da Europa. Era famosa nos tempos antigos como a ilha das especiarias, onde cultivavam-se e em parte ainda hoje cravo, canela, noz-moscada, baunilha, cardamomo, gengibre, açafrão, pimenta e outros tipos de especiarias.

A partir do ponto de vista do turismo Zanzibar é hoje conhecida quase exclusivamente pelo seu mar turquês e pelas suas praias. A ilha é caracterizada por uma longa série de praias de areia branca, decoradas com palmeiras e mar cristalino. Nas águas quentes da ilha existem excelentes oportunidades para snorkeling, mergulho, pesca em alto mar e desportos aquáticos. Os visitantes são atraídos pelas cores da população, os seus empregos, as crianças, os lares pobres, os pescadores consertando as redes e pelas roupas coloridas das mulheres. Entre as atividades mais importantes praticadas pela população há a pesca, a agricultura e o artesanato, enquanto algumas mulheres são dedicadas à coleta de algas.

O centro histórico da cidade de Zanzibar, conhecido como “Stone Town” com as suas ruas estreitas e sinuosas, os portais esculpidos, as varandas de madeira, os mercados movimentados e bazares coloridos são mais uma oportunidade interessante para ver as pessoas locais e compreender a história e o presente da ilha. Na primeira metade do século XIX a cidade tornou-se o fulcro do império de Omã. Aqui ocorreu um comércio florescente em escravos, que foram transportados a partir de Zanzibar para a Península Arábica e para o resto da Ásia. No centro histórico de Zanzibar pode ver as antigas casas, onde os escravos foram mantidos antes de ser enviados para a Península Arábica.

Na ilha existe também um parque nacional: O Parque Nacional Jozani Chwaka Bay (Jozani Chwaka Bay National Park), que encontra-se no centro sul da ilha, abrange 50 quilómetros quadrados e inclui a Floresta Jozani no interior e a lagoa Chwaka Bay. O parque protege uma área de floresta, onde vivem animais como macacos (colobus e cercopitecos), antílopes, papagaios e outras espécies de aves. Uma parte do parque fica ao longo da costa, onde há uma área de floresta de mangue.

O clima de Zanzibar.

Texto português corrigido por Dietrich Köster. 

dealform 336x280
banner
eXTReMe Tracker