Home / Ásia / Irã / Kashan: o banho público do Sultão Amir Ahmad
Banho público do Sultan Amir Ahmad, Kashan, Irã. Autor e Copyright Marco Ramerini.

Kashan: o banho público do Sultão Amir Ahmad

Em rituais muçulmanos o “hammam” (um termo, que vem da língua árabe) é o complexo termal, onde os muçulmanos realizam as duas lavagens de rituais islâmicos: O “ghusl” ou lavagem máximo e o “wudu” ou lavagem menor. Ambas as lavagens do corpo são usadas para chegar ao “tahara” ou o estado de pureza do corpo, que é uma condição indispensável para ser capaz de cumprir a obrigação do “salāt”, o ritual de orações muçulmanas diárias.

Uma dos mais belos banhos públicos históricos do Irão é o banho do Sultão Amir Ahmad, localizado na cidade de Kashan. Este antigo banho público persa abrange uma área de mais de mil metros quadrados e é um dos mais belos exemplos em termos de arquitetura e decoração entre os antigos banhos públicos existentes no Irão de hoje. O seu nome tem origem no santuário-mausoléu vizinho do Sultão Amir Ahmad. A sua construção remonta ao século XVI durante o governo safávida. Mais tarde o edifício foi renovado durante o período Cajar (século XIX) e consiste de várias salas ricamente decoradas com azulejos, gesso e emplastros.

Banho público do Sultan Amir Ahmad, Kashan, Irã. Autor e Copyright Marco Ramerini.

Banho público do Sultan Amir Ahmad, Kashan, Irã. Autor e Copyright Marco Ramerini.

As paredes do banho são decoradas com azulejos turqueses e ouro. O banho é composto de vários quartos, entre os quais se destacam: Contador, portal, entrada, corredores de ligação, quarto de vestir, casa de banho principal, câmara da limpeza, cisterna, toalete e dois poços. Para manter uma temperatura interna adequada os banhos eram geralmente construídos debaixo do nível do solo. O pavimento do banho, que é de pedra, foi sempre mantido quente devido à passagem do calor dos fornos e canais posicionados por baixo do edifício. Portanto o banho não precisa doutros dispositivos de aquecimento. Uma outra obra-prima do edifício é o seu tecto caracterizado por pequenas cúpulas equipadas com lentes de vidro convexas, que permitem uma boa iluminação ao ambiente e ao mesmo tempo impedem aos curiosos a vista para o interior da sala.

Texto português corrigido por Dietrich Köster. 

dealform 336x280
banner
Siga-nos no Facebook
Mantenha-se informado sobre Guia Viagem
×
eXTReMe Tracker