Home / Oceania / Polinésia Francesa / Itinerário na Polinésia Francesa: Bora Bora, Huahine e Rangiroa
Rangiroa, Polinésia Francesa. Autor Clr_flickr. Licensed under the Creative Commons Attribution
Rangiroa, Polinésia Francesa. Autor Clr_flickr

Itinerário na Polinésia Francesa: Bora Bora, Huahine e Rangiroa

O percurso, que fizemos pela Polinésia Francesa, faz parte dum itinerário maior, que inclui também os Estados Unidos, facilitando a visita de 3 ilhas: As duas ilhas vulcânicas de Bora Bora e Huahine e o atol de coral Rangiroa.

Nossos pernoites foram os seguintes: Bora Bora (4 noites), Huahine (4 noites), Rangiroa (4 noites).

1° dia: Los Angeles-Taiti-Bora Bora 11 de Agosto, claro

Depois dum voo de 8 horas de Los Angeles chegamos em torno das três horas no aeroporto de Tahiti-Faaa. O voo doméstico, que nos levará para a ilha de Bora Bora, sai às 7 horas. Em 50 minutos o avião realiza a rota entre Taiti e Bora Bora. São vistas fantásticas sobre a lagoa da ilha do avião, que sobrevoa a baixa altitude antes de aterrar.

O aeroporto de Bora Bora está localizado num ilheu (motu) na parte norte da lagoa da ilha, a partir daqui apenas um “aperitivo” que esperar Bora Bora. Pode ver a famosa montanha da ilha e a sua lagoa bela. que recebe uma beleza especial, quando o sol bate com os seus raios. Um serviço de passageiros leva os visitantes do aeroporto para a vila de Vaitape, a localidade principal da ilha, caracterizada por uma igreja pequena. A Vaitape um autocarro leva-nos para o nosso hotel, o Sofitel Marara.

No meio da tarde decidimos fazer uma caminhada em direção ao que é a única praia na ilha de Bora Bora – as outras praias estão todas nos motus da lagoa – a praia de Matira, que admiramos já durante a viagem de autocarro para o hotel. Esta praia bonita tem areia branca e fina. A partir daqui pode admirar os belos pores do sol e pode ver o ilheu de Maupiti de longe.

Quatro pernoites em Bora Bora: Sofitel Marara Bora Bora.

2° dia: Bora Bora 12 de Agosto, claro

Bora Bora, Polinésia Francesa. Autor Tensaibuta. Licensed under the Creative Commons Attribution

Bora Bora, Polinésia Francesa. Autor Tensaibuta

Hoje fazemos o passeio clássico da ilha de barco, uma experiência muito agradável para ver a paisagem. Vemos os tubarões e paramos num motu solitário, onde temos o almoço com peixe grelhado e o famoso “poisson cru” da Polinésia, peixe cru marinado em suco de limão e coco.

À tarde tomamos as bicicletas fornecidas pelo hotel e fazemos o passeio da ilha de bicicleta (lembre-se de levar água) com um total de 32 km, um passeio muito bonito. Recomendo esta estrada a todos. A estrada é praticamente plana exceto uma pequena subida. Aqui pode apreciar a calma e a paisagem. Paramos para ver os restos das armas da Segunda Guerra Mundial, colocados pelos norte-americanos dos Estados Unidos, que haviam feito de Bora Bora uma base militar na guerra do Pacífico contra os japoneses. Paramos também para visitar alguns marae (templos polinésios), que são encontrados ao longo do caminho. Com a bicicleta é muito mais fácil estabelecer um contato com os habitantes locais. Pode parar para falar com eles, sendo uma experiência agradável.

3° dia: Bora Bora 13 de Agosto, claro

Esta manhã fomos de bicicleta para a vila de Vaitape. A estrada para a vila corre ao longo da bela praia de areia branca de Matira. Visitamos a pequena igreja da vila. Se é domingo é altamente recomendável assistir a uma função religiosa. Fizemo-lo em Rangiroa. É realmente uma experiência inesquecível. O resto do dia vamos para relaxar no mar da lagoa de Bora Bora.

4° dia: Bora Bora 14 de Agosto, claro

Nos levantamos cedo de manhã e tomamos uma canoa (lembre-se de levar água) com o qual vamos explorar os dois ilheus desabitados em frente do nosso hotel. Nestes ilheus vivem apenas quatro cabras. Recentemente num dos ilheus foi construído um outro hotel, o Sofitel Bora Bora Private Island). Em seguida dirigimos ao motu Piti Aau. O tempo passa rapidamente por causa da beleza da paisagem e dos banheiros no mar. Não percebe-se, que o sol é para cima. Vamos voltar ao nosso hotel para as 13 horas. Foi uma experiência maravilhosa, para ser refeita, mas outra vez, vamos ter mais cuidado! O sol realmente bate aqui. Na noite toda a minha pele era vermelha, sofrendo duma insolação forte com febre incrível.

5° dia: Bora Bora-Huahine 15 de Agosto, claro

Esta manhã nos levantamos cedo às 5 da manhã e decidimos ver o nascer do sol. Em seguida às 8 temos o voo para Huahine. Nosso voo faz uma escala na ilha de Raiatea. Incluindo o tempo que leva a curta paragem, o voo é de 50 minutos. Nossa estadia é no Hotel Relais Mahana. Huahine é uma ilha menos turística que Bora Bora e as montanhas são mais doces, tratando-se duma ilha selvagem.

No meio da tarde vamos dar um curto passeio a pé até a aldeia de Fare, onde no porto vemos a chegada da balsa, que liga as Ilhas da Sociedade. No momento da chegada da balsa o pequeno porto ganha vida e as barracas ficam abertas vendendo kebabs, frutas e outras coisas locais. É realmente um bom espetáculo com pessoas, que cumprimentam parentes, que partem ou que chegam com guirlandas típicas de flores ou conchas.

Quatro pernoites em Huahine: Hotel Relais Mahana

6° dia: Huahine 16 de Agosto, claro

Huahine, Polinésia Francesa. Autor Dany13. Licensed under the Creative Commons Attribution.

Huahine, Polinésia Francesa. Autor Dany13

De manhã caminhamos para visitar a pequena povoação de Fare, passando e chegando à baía próxima. De tarde relaxamos à beira-mar.

7° dia: Huahine 17 de Agosto, claro

Hoje de manhã dedicamo-nos ao mar e na tarde alugamos um pequeno carro japonês para visitar toda a ilha, que é composta de duas ilhas, ligadas por uma ponte. Viajamos em todas as ruas da ilha até mesmo as estradas de terra batida. A ilha sul, Huahine Iti, é a mais bela e mais selvagem que Huahine Nui, a ilha ao norte, onde moramos. A única praia da ilha situa-se na extremidade sul de Huahine Iti. Huahine Nui é muito atraente para os seus vestígios arqueológicos, que encontram-se lá. Há muitos marae e na lagoa de Fauna Nui encontram-se antigas armadilhas para peixe.

8° dia: Huahine 18 de Agosto, claro

Hoje estamos dedicados a subidas de bicicleta apesar de Huahine tem algumas subidas bastante difíceis para as nossas pernas não treinadas de qualquer maneira. No entanto visitamos a área do sítio arqueológico de Maeva e a área do lago Fauna Nui. Após o almoço fazemos uma paragem na aldeia de Fare e depois continuamos para a Baía de Maroe, cercada por uma bela vegetação tropical.

9° dia: Huahine-Rangiroa 19 de Agosto, claro

Hoje fase de transferência para o arquipélago Tuamotu, o paraíso dos atóis. Tomamos um primeiro voo para Taiti e em seguida um outro para Rangiroa. A rota Taiti-Rangiroa é realizada numa hora de voo.

Quatro pernoites em Rangiroa: Kia Ora Village Rangiroa.

10° dia: Rangiroa 20 de Agosto, claro

Dia inteiro dedicado ao mar e ao sol. Fundos marinhos bonitos e realmente uma grande quantidade de peixe.

11° dia: Rangiroa 21 de Agosto, claro

Praia de areia rosa, Rangiroa, Polinésia Francesa. Autor Daniel Julie. Licensed under the Creative Commons Attribution

Praia de areia rosa, Rangiroa, Polinésia Francesa. Autor Daniel Julie

Hoje é domingo e decidimos ir à missa na pequena aldeia de Avatoru. As canções religiosas dos polinésios são realmente lindas. É uma experiência verdadeiramente inesquecível. Então dia de mar e sol.

12° dia: Rangiroa 22 de Agosto, claro

Hoje vamos com o barco de vidro no recife e na passagem de Tiputa para ver tantos cardumes de peixe, incluindo tubarões, que são levados na correnteza. No meio da tarde vamos com uma bicicleta passeando ao longo da estrada, que liga a passagem Tiputa com a aldeia de Avatoru e às vezes paramos do lado voltado para o oceano e às vezes paramos em direção da lagoa para admirar a paisagem e procurar conchas: São bonitas sendo simultaneamente uma atividade muito relaxante.

13° dia: Rangiroa-Taiti 23 de Agosto, claro

Infelizmente partimos hoje, mas o nosso avião saindo somente às 14 horas, passamos de manhã na praia e andar na praia para procurar conchas. É mais uma vez uma atividade, que gostamos.

No início da tarde tomamos o voo para Taiti, onde vamos ficar até meia-noite, quando começará o nosso voo de volta. Com uma tarde livre decidimos visitar a cidade de Papeete, a capital da Polinésia Francesa e única cidade do arquipélago. Aqui vive a metade da população de toda a Polinésia Francesa. Do aeroporto tomamos um autocarro típico (truck), subimos sem bilhete e pagamos diretamente ao motorista e podemos descer a pedido, onde queremos. Nós visitamos o centro da cidade e o mercado das conchas. Depois do jantar tomamos um outro truck, que nos leva de volta para o aeroporto. Nasce em nossos corações o desejo de voltar. Foi apenas uma amostra e o apetite vem com o comer, como se diz! Há milhares de ilhas para explorar!

Texto português corrigido por Dietrich Köster.

dealform 336x280
banner
Siga-nos no Facebook
Mantenha-se informado sobre Guia Viagem
×
eXTReMe Tracker