Home / América do Sul / Argentina / Argentina: pastagens, montanhas e geleiras
Quebrada de Humahuaca, Jujuy, Argentina. Author Marianocecowski. Licensed under the Creative Commons Attribution
Quebrada de Humahuaca, Jujuy, Argentina. Author Marianocecowski

Argentina: pastagens, montanhas e geleiras

A Argentina (República Argentina) é uma república federal presidencialista, situada entre o Trópico de Capricórnio e 55° de latitude sul, estendendo-se em direção norte-sul por cerca de 3.700 km na parte sul da América do Sul. O país é banhado pelo sudeste do Oceano Atlântico e limitado a oeste pelo Chile, a norte pela Bolívia e o Paraguai, a nordeste pelo Brasil e o Paraguai e ao leste pelo Uruguai. A capital da Argentina é Buenos Aires, sendo uma dos maiores metrópoles sul-americanas e sede de um dos principais portos do continente. Está situada nas margens do Rio da Prata. Além da capital existem outras cidades importantes como Córdoba, Rosário, Santa Fé, La Plata, Mar del Plata, San Miguel de Tucumán, Salta e Mendoza.

O território da Argentina é rico em montanhas altas. A oeste ao longo da fronteira com o Chile encontra-se a Cordilheira dos Andes, enquanto que na região oriental existem vastas planícies e mais ao sul há algumas planaltos rochosos. O norte da Cordilheira Andina é caracterizada por um vasto planalto desértico, a Puna, com uma altura média de 3.500 metros. Nesta área o vulcão Llullaillaco com 6.739 metros é a montanha mais alta. No sul do planalto andino ficam os picos de vulcões Ojos del Salado com 6.891 m, Nevado Tres Cruces com 6.749 metros, Incahuasi com 6 621 m e Cerro Bonete com 6.759 metros. A parte central da Cordilheira tem as maiores montanhas do país, incluindo o Aconcágua com 6.962 metros, a montanha mais alta da Argentina e de toda a América do Sul. Outras montanhas ao redor do Aconcágua são o Monte Pissis com 6.793 metros, o Cerro Mercedario com 6.720 metros e o Tupungato com 6.570 metros. Proseguindo para o sul os picos dos Andes têm alturas mais modestas como os vulcões Domuyo com 4.709 metros e Lanin com 3.747 metros. Os Andes da Patagónia, cobertas de neve e geleiras, atingem a sua máxima altura com o Cerro Tronador com 3.491 metros. As montanhas da região ao longo da fronteira com o Chile são espectaculares como o Cerro Torre com 3.128 m e o Cerro Chaltén ou Monte Fitz Roy com 3.375 metros.

Fitzroy, Argentina. Author Prissantenbär. No Copyright

Fitzroy, Argentina. Author Prissantenbär

A zona leste da Argentina é composta de uma vasta área plana com colinas não superior a 600 metros de altura. No norte encontra-se a região do Gran Chaco (Chaco Austral e Central), uma vasta planície coberta com prados de arbustos esparsos, utilizado principalmente para o cultivo de algodão e para a criação de gado. Rumo ao nordeste do país entre os rios Paraná e Uruguai existe a região plana e pantanosa da Mesopotâmia argentina. No sul estende-se por mais de 1.600 km a Pampa, uma quase interminável vastidão plana coberta com estepe e arbustos e muitas vezes plantada com cereais ou utilizada para a criação de animais herbívoros. A Patagônia é uma região acidentada localizada ao sul da Pampa. É composta de cascalho e planaltos e de estepa semi-árida.

A Argentina é atravessada por vários rios importantes. O mais importante é o Rio Paraná, que junto com o Rio Uruguai forma o estuário do Rio da Prata. A bacia do Río da Prata-Paraná é depois da Amazônia a maior da América do Sul, ocupando uma área de 3.200.000 km². As majestosas Cataratas do Iguaçu, uma das atrações mais interessantes da Argentina, estão localizadas no nordeste ao longo da fronteira com o Brasil. Outros rios importantes são o Rio Pilcomayo, o Rio Paraguai, o Rio Bermejo, o Rio Colorado, o Rio Negro e o Rio Salado. Existem numerosos lagos.  Muitos deles estão localizados na Patagônia como os lagos Argentino, Viedma, Nahuel Huapi e Buenos Aires. São famosos pelas suas belas paisagens. O ponto mais baixo do país é a Laguna del Carbón na Patagônia, localizada 105 metros debaixo do nível do mar. Esta é também o ponto mais baixo da América do Sul.

Mapa da Argentina

Mapa da Argentina

A agricultura é um dos sectores económicos mais importantes da Argentina. O país está entre os mais importantes produtores de carne do mundo. Se faz a criação de bovinos e ovinos, a indústria de lacticínios é altamente desenvolvida. A agricultura dos cereais como trigo, cevada, milho, aveia, centeio e arroz é intensamente cultivada. Outros importantes produtos agrícolas são as sementes de linho e de girassol, o algodão, a cana-de-açúcar, o amendoim, os tomates, as batatas, os citrinos como laranjas, tangerinas, limões e toranjas, as frutas como o pêssego, a maçã e as bananas, o vinho e o tabaco. Notável também é a silvicultura e a pesca. Existem recursos minerais como petróleo e gás natural, carvão, ferro, estanho, chumbo, prata e ouro. A indústria está ligada à transformação de produtos alimentares e à produção de têxteis e maquinária.

Texto português corrigido por Dietrich Köster. 

  • Área:  2.780.092 km²: terra arável 9,8%, prados e pastagens 51,3%, florestas e arbustos 18,3%, terras incultas e improdutivas 20,6%
  • População: 40.300.000 (situação em 2007): europeus 85%: italianos 35%, espanhóis 24%, alemães, franceses, britânicos e russos; mestiços e mulatos.
  • Capital: Buenos Aires.
  • Língua oficial: A língua oficial é o espanhol. Falam-se também o italiano, o inglês, o alemão e o francês.
  • Religião: Católicos 93%, Judeus 2%, Protestantes 1%.
  • Moeda: Peso (ARS).
  • Fuso horário:  UTC-3, no verão UTC-2.

dealform 336x280
banner
eXTReMe Tracker